Uma vida dura é a fé que dura! (um grão de mostarda!)

A fé madura
Dura
Numa vida má e duraO viver triste subsiste
“persista”,
Insta-me a fé
Sobre o fardo da vida, a fé diz:
Leve,
Mesmo não sendo leve

A dor sempre existe
Resistindo,
A fé insiste, insiste, insiste
O inacreditável torna-se real
Acredite,
O irreal passa a ser crível

À fé, não compete a prepotência
Competindo,
A primeira impotente se torna

Mas o prazo das minhas forças vence
Vencido,
Vejo a fé vitoriosa

Reconhecendo minha incompetência,
Posso
Descansar no Onipotente
Tudo posso naquele que pode

(Autoria: Flávio Américo)